Search options

Search
Search by author
Between Dates
to
Volume and Number
&
Spemd Logo

Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial

Revista Portuguesa de Estomatologia Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial | 2021 | 62 (2) | Page(s) 87-93


Investigação Original

Bruxismo em alunos do 5.º ano do curso de Medicina Dentária: Prevalência e fatores associados

Bruxism in 5th-year Dental Medicine students: Prevalence and associated factors


a Departamento de Reabilitação Oral, Instituto Universitário de Ciências da Saúde, Gandra, Portugal
b Departamento de Ciências Dentárias, Instituto de Investigação e Formação Avançada em Ciências e Tecnologias da Saúde (IINFACTS), Gandra, Portugal
Mónica G Cardoso - monica.cardoso@iucs.cespu.pt

  Show More



Volume - 62
Issue - 2
Investigação Original
Pages - 87-93
Go to Volume


Received on 24/11/2020
Accepted on 12/06/2021
Available Online on 28/06/2021


Objetivos: Avaliar sinais e sintomas descritos na literatura como potenciais desencadeadores ou resultantes de bruxismo e a prevalência dos mesmos em alunos do 5.º ano do curso Mestrado Integrado em Medicina Dentária do Instituto Universitário de Ciências da Saúde (IUCS) – CESPU. Avaliar se a idade, género, toma de antidepressivos, dificuldade em dormir à noite, sensibilidade dentária, ansiedade, depressão e stress são fatores associados ao bruxismo, assim como se o bruxismo está associado a sinais e sintomas isolados das disfunções temporomandibulares, lesões de abfração e desgaste dentário nos alunos. Métodos: 211 alunos foram convidados a preencher um inquérito com questões acerca dos sinais e sintomas referidos. As avaliações dos distúrbios psicológicos e da presença dos sinais e sintomas mais comuns das disfunções temporomandibulares foram feitas através da Escala de Ansiedade, Depressão e Stress – 21 e do Questionário Anamnésico de Fonseca, respetivamente. Clinicamente, foram registadas as lesões de abfração e desgaste dentário de acordo com o Índice de Desgaste Dentário de Smith e Knight. Foram considerados bruxómanos prováveis os alunos que apresentassem desgaste oclusal nos pré-molares. Resultados: Nestes alunos, a taxa de prevalência de bruxismo provável foi 57,1% e os fatores associados foram ter idade superior a 28 anos, lesões de abfração e desgaste incisal/oclusal ≥1 segundo o Índice de Desgaste Dentário de Smith e Knight. Conclusões: Os fatores associados ao bruxismo foram idade superior a 28 anos, lesões de abfração e desgaste incisal/oclusal ≥1. O bruxismo foi considerado como fator de risco das lesões de abfração e desgaste incisal/oclusal ≥1.


Objective: To evaluate the signs and symptoms described in the literature as potential triggers or consequences of bruxism and their prevalence in 5th-year students of the Integrated Masters in Dental Medicine of the Instituto Universitário de Ciências da Saúde - Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (IUCS-CESPU). To know whether age, gender, antidepressant medication, difficulty sleeping at night, and psychological disorders are factors associated with bruxism and ascertain whether bruxism is associated with dental sensitivity, temporomandibular disorders, abfraction lesions, and tooth wear. Methods: 211 students were invited to complete a questionnaire about the signs and symptoms mentioned above. Psychological disturbance and isolated signs and symptoms of temporomandibular disorders were evaluated using the Depression, Anxiety, and Stress Scale-21 and Anamnésico de Fonseca’s questionnaire, respectively. Clinically, abfraction lesions and tooth wear were recorded according to Smith and Knight Tooth Wear Index. Students who exhibited occlusal wear in the premolars were considered probable bruxers. Results: In these students, the prevalence rate of probable bruxism was 57.1%, and the associated factors were being over 28 years old, having abfraction lesions, and having incisal/ occlusal wear ≥1 according to Smith and Knight Tooth Wear Index. Conclusions: Being older than 28 years old, abfraction lesions and incisal/occlusal wear ≥1 were considered factors associated with bruxism. Bruxism was considered a risk factor for abfraction lesions and incisal/occlusal ≥1.


Supplementary Content


  Download PDF